Muitos investidores iniciantes, convencidos de que as ações são um bom negócio, tendem a concentrar todas as suas fichas nessa modalidade de investimento, ignorando a renda fixa. Este é um erro gravíssimo.

Neste artigo, explicarei como a renda fixa pode ser uma aliada em seu processo de enriquecimento.

Investir é diferente de apostar

Em minha rotina diária de respostas a dúvidas de leitores e seguidores nas redes sociais, indagações como “tenho dez mil na poupança e quero transferir tudo para um fundo de ações, o que você acha?” são comuns.

Neste caso, eu diria se tratar de um absurdo. Esse é o tipo de decisão que reflete um comportamento de especulador, e não de quem investe em empresas.

Especular é para profissionais, ou seja, pessoas que vivem do mercado de investimentos, e não para investidores iniciantes. Ainda falta a eles percepção de que investimentos não servem apenas para multiplicar riquezas, mas também para nos proteger de imprevistos e para permitir que aproveitemos oportunidades. Em outras palavras, o papel de nossos investimentos é também de aumentar nossa liquidez.

Como a renda fixa se encaixa em seu processo de enriquecimento?

Você realmente começará a construir riqueza no dia em que perceber que a renda fixa faz diferença para o processo de enriquecimento, e não o investimento em renda variável. Quem constrói casas para revender não enriquece porque teve a brilhante ideia de construir, mas sim porque juntou dinheiro que permitisse pagar a obra a um preço bem menor do que o de revenda. Quem investe em ações não enriquece simplesmente por ter bons papéis, mas sim por conhecer seu mercado e contar com reservas na renda fixa para aproveitar a queda de preços em uma crise e fazer boas compras.

A renda fixa vai criar patamares de riqueza na construção do seu patrimônio. Ela será parte importante em sua estratégia de estar sempre presente em alguma alternativa de renda variável.  O certo é ter um percentual de sua carteira em renda variável como termômetro e, quando ficar barato, você se adiantar às recomendações de mercado e investir no que barateou.

Isto deve ser feito devagar e sempre para você ter a percepção que tem domínio da informação, de que sabe como funcionam os processos e saber o que comprar. Não é simplesmente seguir dicas, mas sim acompanhar relatórios de análises. Dessa forma, você terá uma noção de onde investir ao longo de um determinado período.

Conclusão

A melhor das estratégias sempre terá uma parcela razoável da carteira investida em renda fixa. Para as pessoas comuns, o ideal é que a maior parte de seu patrimônio esteja nessa modalidade. Com uma parcela menor investida em renda variável, você aprenderá a lidar com o risco e terá oportunidade de obter ganhos acima da renda fixa.

Com a parcela maior em renda fixa, você terá liquidez e condições de aproveitar as pechinchas geradas por pessoas desesperadas e gananciosas que vendem bons ativos nos momentos turbulentos. Isso pode garantir saltos no desempenho de sua carteira que jamais seriam obtidos por uma carteira bem diversificada de ações de empresas conhecidas.

Sucesso em suas escolhas.

Fonte: BTG


0 comentários

Deixe uma resposta

Avatar placeholder

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *