Alcançar bons resultados com os investimentos não depende apenas das condições do mercado ou dos ativos disponíveis. A tomada de decisão também tem uma grande influência no seu desempenho. Por isso, é essencial saber se você tem usado mais a razão ou a emoção ao investir.

Afinal, o grau de influência dos sentimentos na sua forma de agir pode interferir nos resultados das suas finanças. Logo, é interessante compreender o que você pode fazer para aumentar as chances de realizar boas escolhas.

Neste artigo, mostrarei como você pode analisar como tem sido sua tomada de decisão e o que fazer a respeito dela.

Confira!

Como as emoções influenciam na tomada de decisões?

Quando temos que fazer uma escolha, nosso cérebro utiliza diversos elementos para tentar encontrar a melhor resposta. Em alguns momentos, é comum que a tomada de decisão seja mais lógica e considere questões como os fatos que ocorreram e os seus interesses ao investir.

Porém, os sentimentos também podem influenciar as escolhas. Nesse caso, a tomada de decisão se torna mais subjetiva, já que cada pessoa tem emoções e percepções diferentes, ainda que diante de um mesmo cenário.

Como consequência, esses comportamentos também repercutem nas decisões de investimentos. Ou seja, mesmo quando se trata de uma questão teoricamente objetiva — como cuidar do seu dinheiro —, suas emoções podem influenciar.

No mercado financeiro, em específico, existem esses dois modelos. De um lado, há teoria do homem econômico, ou homo economicus. Ela define que as pessoas podem ser totalmente racionais quando o assunto é dinheiro e que são capazes de tomar decisões estritamente objetivas.

Do outro lado, há a abordagem das finanças comportamentais. Segundo essa área de estudo, todos estamos sujeitos, em maior ou menor grau, à influência das emoções ao tomar decisões. É o caso dos vieses comportamentais, que podem fazer com que tenhamos visões distorcidas sobre o mercado e as oportunidades.

Como tem sido a sua tomada de decisão ao investir?

Como você viu, a tomada de decisão no mercado de investimentos nem sempre é racional. Ademais, uma alta influência do aspecto emocional tende a prejudicar seu julgamento e pode aumentar os riscos das suas escolhas. Por isso, é importante saber identificar se você tem usado mais a razão ou a emoção ao investir.

Para tanto, vale a pena entender quais são as características de cada abordagem. A tomada de decisão emocional envolve os diferentes tipos de sentimentos, como ansiedade, conforto, desconforto, medo ou euforia.

Esse tipo de escolha também tende a ser mais reativo e impulsivo. Por isso, a influência das emoções costuma fazer com que suas decisões sejam mais rápidas e menos planejadas.

Já uma forma de agir racional envolve mais objetividade e embasamento. Nesse caso, é comum utilizar premissas, critérios e um conjunto de avaliações e elementos concretos para decidir qual tende a ser o caminho ideal.

Para avaliar a sua atuação, você deve identificar quais características estão mais alinhadas ao seu modo de agir. Também é possível imaginar sua reação em determinados cenários.

Pense, por exemplo, que metade das ações da sua carteira de investimentos sofre uma queda brusca, de mais de 10%. Nessa situação, você fica com medo e vende todos os papéis para evitar prejuízos maiores ou avalia cada empresa para identificar quais delas mantêm seus fundamentos?

Se você optou pela primeira opção, é provável que sua tomada de decisão seja mais emocional. No segundo caso, há uma tendência mais racional na forma de agir.

Porém, seu comportamento também pode mudar diante de situações diferentes. Logo, é preciso observar a conduta geral — e não apenas em uma situação.

Como tomar as melhores decisões ao fazer seus investimentos?

Conforme você viu, é comum que a razão ou a emoção influencie mais suas escolhas financeiras em determinados momentos. Como é inviável eliminar totalmente as emoções, faz mais sentido tentar equilibrar ambos os modos de agir, em busca de resultados melhores.

Para entender o que fazer, veja algumas dicas para ser capaz de tomar as melhores decisões de investimentos!

Desenvolva o autoconhecimento

Como a tomada de decisão no mercado financeiro costuma ser um reflexo do seu comportamento em outras áreas da vida, vale a pena investir em autoconhecimento. Dessa forma, você entenderá melhor sua personalidade, seus gatilhos emocionais e seus padrões de decisão.

Quanto mais você se conhecer, mais fácil será saber quais são as armadilhas da sua mente e quais são seus pontos fortes. Assim, é possível usar essas informações a seu favor para conseguir investir melhor.

Aumente seu conhecimento financeiro

Também é fundamental trabalhar o seu conhecimento a respeito do mercado financeiro. Quanto mais você souber sobre os investimentos, as estratégias e os riscos de cada possibilidade, mais consciente tende a ser sua decisão.

Você deve explorar, ainda, as ferramentas existentes. Entender como fazer a análise técnica ou fundamentalista, por exemplo, permitirá que você tome decisões com base em uma metodologia consolidada — e não apenas considerando suas emoções.

Estabeleça premissas antes de investir

Como você acompanhou, decisões racionais são baseadas em critérios e elementos objetivos. Por isso, fazer as melhores escolhas no mercado financeiro exige que você determine algumas premissas antes de começar a investir.

Se você decidir que deseja ter boas empresas na sua carteira de ações, por exemplo, é importante definir o que caracteriza uma companhia de qualidade para você.

Para alguns investidores, boas empresas são aquelas que pagam mais dividendos. Para outros, as melhores companhias para compor o portfólio podem ser aquelas com alto potencial de crescimento, por exemplo.

Também é preciso estabelecer o nível de risco que você está disposto a correr e quais oportunidades fazem sentido para a sua estratégia. Assim, você terá orientações relevantes para tomar uma decisão.

Concilie razão e emoção

Apesar de decisões altamente emocionais serem mais arriscadas, as emoções não devem ser descartadas por completo. Afinal, uma escolha pode ser bastante lógica e racional, mas ser desconfortável. Nesse caso, ela pode não fazer sentido para as suas necessidades.

Por isso, é interessante ponderar suas percepções e seus sentimentos com os elementos objetivos e concretos. Assim, será possível fazer as escolhas que serão as mais adequadas para você.

Agora você sabe como analisar se suas decisões financeiras são mais baseadas na razão ou emoção. Além disso, esses conhecimentos permitem ajustar seu comportamento para fazer as melhores escolhas de investimentos.

Que tal aproveitar os diferentes investimentos do mercado com uma instituição sólida e completa? Abra sua conta com a Delta

Fonte: btg


0 comentários

Deixe uma resposta

Avatar placeholder

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *