Quem investe em ações sabe que o preço de uma ação pode oscilar de acordo com a lei da oferta e da procura. No entanto, existem outros eventos que também podem resultar em movimento de preços. Um deles é conhecido como recompra.

Portanto, se você investe em ações, precisa ficar atento a esse evento para administrar melhor sua carteira de investimentos. Afinal, pode gerar oportunidades de lucro, aumento de posição, revisão de estratégia, entre outros pontos.

Pensando nisso, preparei este post para explicar o que é recompra e como ocorre a recompra de ações por empresas emissoras.

Aproveitar!

O que é recompra?


No mercado financeiro, a expressão inglesa “buyback” é utilizada para definir a “recompra” de ações pela própria empresa emissora. Vale ressaltar que quando uma empresa deseja ter ações listadas na bolsa de valores, ela precisa realizar um procedimento denominado IPO (oferta pública inicial).

Nela, a organização emite e vende suas ações a investidores interessados em se tornar sócios do negócio. O dinheiro arrecadado nesta oportunidade vai direto para o caixa da empresa e pode ser utilizado para financiar suas operações e projetos de expansão.

Com o fechamento do IPO, as ações vendidas passam a ser negociadas no mercado secundário. Nesse ambiente, as negociações são feitas entre investidores. Isso significa que o emissor dos títulos não participa da venda e não recebe os recursos das transações.

Se a organização quiser aumentar o número de ações emitidas, precisará fazer uma oferta posterior (follow on). Este é um procedimento muito semelhante ao IPO, mas com regras adicionais.

Por exemplo, é preciso oferecer o direito de compra a quem já é sócio do negócio por meio do direito de subscrição.

Em qualquer caso, por uma ou mais razões, uma sociedade pode decidir recomprar as ações que emitiu. Nesse caso, faz o contrário, comprando a quantidade desejada de ações de seus acionistas — procedimento denominado recompra.

Por que as empresas recompram suas ações?


Depois de aprender o que é uma recompra, você pode querer saber por que as empresas recompram suas ações. Os motivos podem ser diversos e até cumulativos, visando atender alguma necessidade da empresa.

Confira abaixo os principais motivos para uma recompra!

Corrigir o preço


Como você viu, depois que uma ação chega ao mercado secundário, ela é negociada entre seu titular e o interessado em adquiri-la. Assim, a precificação obedece à lei da oferta e da procura, variando de acordo com as ações dos compradores e vendedores.

No entanto, a empresa pode entender que o mercado está precificando seu papel incorretamente. Nesse contexto, tem a possibilidade de realizar uma recompra na tentativa de reajustar o preço das ações, aumentando a pressão compradora sobre as mesmas.

Impulsionar os resultados dos acionistas


De acordo com a Lei das Sociedades por Ações, a cada período a empresa é obrigada a distribuir parte de seus lucros aos acionistas. Porém, quanto mais acionista a empresa tiver, menor será o valor pago por ação, considerando que a distribuição é feita proporcionalmente.

Dessa forma, uma organização pode optar pela recompra para diminuir sua base acionária e aumentar seus próprios lucros e os de seus investidores. Ao fazer isso, diminui o grupo que deveria receber os lucros, enquanto aumenta o valor recebido pelos demais acionistas.

Evite alterar o controle corporativo


Muitas empresas que decidem abrir o capital na bolsa de valores buscam manter a gestão pelos sócios originais. No entanto, dependendo da quantidade de ações que um investidor adquire no mercado, o controle societário pode mudar.

Portanto, realizar uma recompra pode ser uma estratégia para retirar parte de seus ativos do mercado. Isso impede que um terceiro obtenha o número de ações necessário para se tornar o acionista controlador da organização.

Como é feito o processo de recompra de ações?


Conhecendo agora alguns dos motivos que levam uma empresa a recomprar suas ações, é pertinente entender como funciona esse procedimento.

Semelhante ao IPO e aos procedimentos subsequentes, a empresa precisará anunciar sua intenção de recompra ao mercado com antecedência. Além disso, é necessário que ela obtenha autorização da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para o procedimento.

O anúncio permitirá que os investidores planejem e decidam se venderão suas ações ou não. Se o acionista optar pela venda, a empresa realizará a aquisição emitindo ordem de compra como qualquer outro investidor. Ao receber as ações, a empresa poderá:

  • custódia dos ativos: caso a empresa acredite na valorização de suas ações, poderá mantê-las em tesouraria para revenda posteriormente (respeitado o limite de 10% das ações).
  • cancelar os ativos: outra possibilidade é o cancelamento das ações, reduzindo

Que tal aproveitar os diferentes investimentos do mercado com uma instituição sólida e completa? Abra sua conta com a Delta

Fonte: btg


0 comentários

Deixe uma resposta

Avatar placeholder

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *