Muito se fala sobre as diferenças entre a geração Z e os millennials, duas gerações nascidas em determinados momentos nas últimas décadas. Por causa dessas distinções, as gerações têm características peculiares que muitas vezes se chocam.

Você já pensou na relação desses indivíduos com os investimentos? Nesse quesito, os millennials e a geração Z também possuem particularidades. Portanto, é interessante entender como cada grupo tende a se comportar sobre o assunto.

Pensando nisso, preparei este artigo. Aqui, conto mais sobre o comportamento dos millennials e da geração Z com investimentos.

Confira!

Quem são os millennials e a geração Z?   

O conceito de dividir a juventude em gerações, encontrando padrões em seu comportamento, surgiu após a Segunda Guerra Mundial. O primeiro grupo foi o dos baby boomers, que são pessoas nascidas entre 1945 e 1964. Recebeu esse nome devido ao intenso crescimento demográfico ocorrido nos Estados Unidos naquele período.

Logo depois surgiu a Geração X, composta por pessoas nascidas entre 1965 e 1981, durante a reconstrução da Europa do pós-guerra. Por isso, esse grupo de pessoas encontrava maiores dificuldades no mercado de trabalho.

Agora que você conhece as primeiras gerações, é hora de saber quem são os millennials e a geração Z. Assim, fica mais fácil entender a relação desses grupos com os investimentos.

Os millennials, também conhecidos como geração Y, são pessoas nascidas entre 1981 e 1995. Eles presenciaram a introdução de novas tecnologias e o grande fluxo global de informações. Portanto, apresentam uma grande expectativa em relação às mudanças para as melhorias no mundo.

Já a Geração Z, são os jovens nascidos entre 1995 e 2010, sendo chamados de nativos digitais. Isso porque nasceram e cresceram em meio a um intenso avanço tecnológico, como os computadores pessoais, smartphones e a popularização da internet.

Qual o conhecimento das duas gerações sobre investimentos?  

Depois de entender o que são millennials e geração Z, é importante saber o grau de conhecimento sobre investimentos que ambos os grupos apresentam.

Para isso, vale observar a pesquisa Raio-X do Investidor Brasileiro 2020. Este estudo foi realizado pela ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais) em parceria com o Datafolha.

A pesquisa concluiu que 43,1% dos millennials não sabem sobre investimentos, enquanto 51,8% da geração Z adquiriu desconhecimento sobre o assunto. Além disso, a geração Z é a que menos poupa e investe, pois 58,3% dos escolarizados afirmaram não poupar dinheiro nem investir recursos.

Com a geração do milênio, esse percentual cai para 50,4%. Com isso, é possível concluir que o conhecimento dos millennials sobre investimentos é mais profundo do que a geração Z, assim como a prática de investir é mais difundida.

No entanto, vale lembrar que muitos dos nativos digitais estão trabalhando recentemente. Como as pessoas não costumam ter um planejamento financeiro nessa fase da vida, esse grupo ainda não tem muito conhecimento sobre todos os tipos de produtos financeiros.

Qual é o comportamento dos millennials sobre dinheiro?  

Como você viu, os millennials têm mais conhecimento sobre investimentos do que a geração Z. Mas qual é o comportamento deles em relação ao dinheiro? De um modo geral, esse grupo de pessoas está sob maior pressão para ter sucesso.

Afinal, os millennials nasceram e cresceram em meio à globalização e, consequentemente, com maior acesso à informação e ao conhecimento do que seus antepassados. Além disso, estão familiarizados com as novas tecnologias, o que também facilitaria sua realização profissional.

No entanto, uma sucessão de acontecimentos fez com que a geração não correspondesse às expectativas criadas. Por exemplo, as recessões globais de 2008 e 2019 – esta última causada pela covid crise de saúde.

Por esse motivo, os millennials são pessoas que podem demorar para atingir os marcos tradicionais da idade adulta, como comprar uma casa ou possuir um carro. Além disso, são mais tolerantes em adquirir dívidas, tendendo a chegar aos 40 anos com menos patrimônio que a Geração X.

Apesar disso, quando o assunto é investimento, a geração Y brasileira é a que mais conhece sobre títulos públicos e fundos de investimento. Uma das possíveis emoções é que essas pessoas viveram em uma época em que a taxa Selic estava alta, o que influencia na predileção por renda fixa.

Portanto, embora os millennials também invistam em ações e outros ativos de renda variável, eles desconfiam mais dessa classe de investimentos. Portanto, o portfólio dessa geração costuma ser composto pelas seguintes alternativas:

E a Geração Z, como se comporta com as finanças?  

Depois de aprender mais sobre a geração do milênio e o dinheiro, é hora de entender a relação da Geração Z com as finanças. Como você aprendeu, esse grupo é o que mais admite não saber sobre investimentos e não guardar dinheiro, o que pode ser justificado pela entrada recente no mercado de trabalho.

Porém, a parcela da geração Z que se interessa por investimentos é a que mais investe na variável renda, principalmente em ações e criptomoedas. Isso pode ser explicado pelo fato de esses jovens terem nascido com amplo acesso à tecnologia e à informação.

Assim, a Geração Z consegue explorar esse tipo de investimento com maior tranquilidade e confiança. Assim, sua carteira financeira costuma apresentar:

  • ações
  • criptomoedas; 
  • fundos de investimentos; 
  • ativos de renda variável; 
  • aplicação de renda fixa (em menor proporção). 

Neste artigo, você descobriu como a Geração Z e os millennials se comportam em relação a finanças e investimentos. Agora, você tem informações interessantes que podem te ajudar a entender sua relação com o mercado financeiro.

Que tal aproveitar os diferentes investimentos do mercado com uma instituição sólida e completa? Abra sua conta com a Delta

Fonte: btg


0 comentários

Deixe uma resposta

Avatar placeholder

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *