Entenda o que são Criptomoedas e qual a sua utilidade

No passar dos anos, a tecnologia cada vez mais se fez presente em nossas vidas, e em busca de trazer continuamente mais conhecimento para os leitores, resolvi escrever para vocês sobre este tema que está sendo tão abordado ultimamente no mercado financeiro.

O que são criptomoedas?

O termo cripto está relacionado à criptografia envolvida em vários processos, como a mineração (registro das transações) e os endereços. Elas foram criadas em uma rede blockchain a partir de sistemas avançados de criptografia que protegem as transações e as informações de quem está transacionando. Como um grande livro de registros.

O que é blockchain?

Colocando de maneira simplificada, o blockchain é um sistema de registros descentralizado em que constam todas as transações feitas com uma determinada moeda digital. A infraestrutura utilizada por essa tecnologia garante que esses registros sejam confiáveis e imutáveis.

Em cada registro estão presentes todas as informações das movimentações: quando foi feita, o endereço que enviou, o que recebeu, qual o valor enviado e por aí vai.

Por fim, cada registro de grupo de transações efetuados rende a emissão de novos ativos ligados a uma determinada rede.

Qual a utilidade das criptomoedas?

As criptomoedas possuem diversas utilidades além da simples função de ser um meio de troca que utilizamos em nosso dia a dia.

1. Reserva de Valor

Temos o bitcoin, que tem sido classificado por grandes investidores como uma opção viável de reserva de valor.

2. Security Tokens

São similares a ações ou cotas de fundos de investimentos registrados em blockchain.

3. Utility Tokens

São moedas de troca para acessar algum tipo de serviço ou garantir descontos em taxas, entre outras funções.

Ainda estamos avançando neste ativo, elas, porém, ainda não foram utilizadas como unidade de conta devido à alta volatilidade implícita em seus preços.

Por que essas moedas possuem volatilidade tão forte?

A alta variação dos preços dessas moedas se dá pela boa e velha lei de oferta e demanda. Como elas estão chamando muita atenção das pessoas ultimamente, é natural visualizarmos uma ampliação no volume de compra e a decorrente alta dos preços.

Há um número limitado de cada moeda em circulação, e novas moedas são criadas através de um controle para que a demanda se ajuste e mantenha o preço delas estável.

Ou seja, por ser um mercado pequeno, com poucas operações, isso traz um impacto relevante em cada operação feita.

Exemplo: Conseguimos assimilar isso comparando uma movimentação de PETR4 com BRML3. Se utilizarmos um volume de compra alto para essas duas empresas, com certeza o impacto em BRML3 será muito maior do que em PETR4, por sua maior liquidez em bolsa.

Principais Criptomoedas

Bitcoin

A mais conhecida e a primeira dentre todas as moedas digitais descentralizadas. O bitcoin foi desenhado em 2008, em meio à grande crise financeira global para ser um sistema alternativo aos meios de pagamentos financeiros tradicionais.

Código do ativo: BTC.

Ether

Esta moeda é o meio de troca da plataforma Ethereum e funciona tanto para transferências dentro da rede como para registro e execução dos smart contracts, que são sistemas descentralizados e autônomos que se apoiam na tecnologia blockchain.

Código do ativo: ETH.

Litecoin

Criada por um ex-funcionário do Google, ela possui muita semelhança com o bitcoin. Sua principal diferença está no seu processo de mineração, que busca reduzir o tempo de confirmação das transações.

O Litecoin costuma ser utilizado quando as taxas de transação da rede do bitcoin estão muito altas.

Código do ativo: LTC.

Processo de Mineração

Como pontuei, cada ativo possui seu código para registro na blockchain e, quando transacionado, é protegido por criptografia e registrado na blockchain. Mas como são efetuados tais registros?

Por meio dos chamados mineradores. Eles utilizam ASICs (placas especializadas em mineração) e, a depender do protocolo, placas gráficas (GPUs), que são intensivas em capacidade de processamento específico. Esses mineradores são remunerados com novas unidades dessas moedas, que são criadas a partir dos registros bem-sucedidos nos grandes “livros contábeis” conhecidos como blockchains. Para efetuar o registro, os mineradores precisam resolver uma espécie de equação matemática que resulte num código válido para a efetuação dos registros.

Ou seja, a mineração é o processo utilizado para a garantia de segurança de uma rede blockchain, por meio do emprego de poder computacional e energia elétrica, que tem como resultado a criação de novas moedas.

Conclusão

Os criptoativos possuem uma tecnologia disruptiva e vieram para mudar a forma como pensamos o dinheiro e interagimos com ele. Contudo, é muito importante termos em mente que estamos dando os primeiros passos em direção à evolução desse mercado.

Estes ativos podem até vir a se tornar o principal meio de transação daqui alguns anos, porém é muito cedo para decretarmos algo.

Acredito, sinceramente, que a ascensão das criptomoedas reforça que o futuro está na tecnologia e isso fica mais claro a cada dia. Vamos seguir nos atualizando sobre essa nova classe de ativos e sobre muitas outras tecnologias que virão, sempre buscando trazer o melhor conteúdo para nossos clientes e para os nossos leitores.

Fonte: btgpactualdigital


0 comentários

Deixe uma resposta

Avatar placeholder

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *