Como lidar com as contas de início de ano?

O mês de janeiro chegou — e junto com ele também chegam as contas de início de ano. Além dos tradicionais IPTU, IPVA, matrículas de escolas, cursos e anuidades de associações profissionais, vêm também as consequências de nossa autoindulgência natalina.

No entanto, não é hora de lamentar ou de começar a pintar de vermelho o orçamento de 2022, mas sim de agir para corrigir o erro o quanto antes. Neste artigo, trago algumas reflexões e sugestões para não repeti-lo.

Dicas para quem exagerou nas contas de início de ano

Quem está surpreso com as contas de início de ano provavelmente cometeu um erro clássico nas finanças pessoais: negligenciou a importância do 13º salário ou dos bônus e gratificações de final de ano. Se você não conta com esses extras, pode ter cometido outro erro clássico — de não provisionar mensalmente recursos para janeiro, mês de gastos concentrados.

Quem abusou nos gastos no final de 2021 deve inverter o jogo, procurando fazer caixa com a venda de algo que não precise mais. Se você nunca experimentou um site de vendas online, pode ser um bom começo.

Uma alternativa menos trabalhosa — e por isso mais cara — é tomar um empréstimo para equalizar as contas. Não pense em usar seu limite do cheque especial ou em pagar menos do que o total da fatura do cartão de crédito (o chamado crédito rotativo), pois são opções muito caras. As melhores oportunidades costumam estar no crédito consignado e no refinanciamento do automóvel ou imóvel, que nada mais é do que um empréstimo garantido por este veículo ou imóvel.

Como quebrar este ciclo de uma vez?

Para que este ciclo não se repita em janeiro de 2023, alguns cuidados são necessários. O primeiro passo é fazer uma provisão destes gastos. Com o preenchimento da planilha de orçamento doméstico de 2021, você conseguirá fazer uma estimativa das despesas para 2022. Como se trata de recursos para o curto prazo, você deve aplicá-los em um bom produto de renda fixa, como o Fundo DI Simples.

Uma outra técnica é provisionar o 13º salário de 2022 para os pagamentos de 2023. Ao recebê-lo, você já separa uma parte para os gastos de janeiro. Investindo por 1 ou 2 meses, terá um rendimento que vai ajudar a pagar estas contas de início de ano de maneira mais leve. Assim, pagando à vista aqueles impostos do ano seguinte, não terá mais parcelamento — ou seja, quebrando o ciclo uma vez, você terá um alívio perpétuo em suas contas. Essa é a recomendação para que você possa ter um orçamento mais bem planejado no próximo ano.

Para quem não fez nenhum planejamento, a dica é deixar de consumir um pouco no Natal. Será necessário conversar com as pessoas que estão envolvidas na celebração e sugerir um Natal mais criativo, optando, por exemplo, por presentes simbólicos que custem menos.

Haverá frustração? É provável que sim, afinal muitas pessoas desejam ganhar um presente que custe mais. No entanto, se você souber simbolizar algo que transmita uma grande mensagem, como uma poesia ou um conjunto de fotos, a história que tem com esse amigo ou familiar, talvez essa lembrança tenha um valor tão interessante quanto um bem caro. Como consequência desse Natal mais econômico, você terá dinheiro sobrando para janeiro.

Conclusão

Boa parte das escolhas que estão engessando o orçamento vêm sendo carregadas desde o Natal passado, quando você se viu obrigado a parcelar um compromisso diante de uma escolha generosa.

Quebre o ciclo uma vez, e a sua vida será bem mais interessante nos próximos anos. Tenho certeza de que essa atitude vai mudar a sua vida.

Sucesso em suas escolhas e um próspero 2022.

Gostou do conteúdo? Então complemente a leitura e confira 5 Erros financeiros que você precisa evitar no final do ano!

Fonte: btgpactualdigital


0 comentários

Deixe uma resposta

Avatar placeholder

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *