Como as suas decisões de consumo impactam a sua independência financeira

O grande segredo para se construir patrimônio é entender que você não vai tomar suas decisões de consumo com base no que você ganha.

No artigo de hoje, apresentarei uma técnica que permitirá a liberdade para você construir sonhos, investir para o seu futuro e criar patrimônio que possa se multiplicar e gerar a sua independência financeira.

Você está lendo: Como as suas decisões de consumo impactam a sua independência financeira

Viva um degrau abaixo

Nas várias situações da minha vida em que tive que dar conselhos breves para pessoas que conheci, seja um sobrinho em um evento familiar ou um artista durante o intervalo de um programa, uma das orientações mais simples, objetivas e eficientes que eu sempre apliquei foi a de viver um degrau abaixo do que podia.

Não é muito fácil entender esse conceito de “viver um degrau abaixo do que você pode viver”. Afinal, qual será o tamanho desse degrau? Se eu ganho R$ 5.000, eu devo gastar R$ 4.000, R$ 3.000 ou R$ 2.000?

Esta decisão dependerá fundamentalmente da sua renda mensal e do seu momento de vida. Logo abaixo, trago dois exemplos práticos para explicar este conceito.

Você está lendo: Como as suas decisões de consumo impactam a sua independência financeira

Decisões de consumo para quem possui uma renda baixa

Digamos que um jovem ganha um salário-mínimo e me procura dizendo que não consegue poupar para os seus objetivos, seja um curso, uma viagem ou educar um filho. Isto é perfeitamente normal, pois quem ganha um salário-mínimo não tem muita liberdade de escolha.

Porém, esse jovem pode fazer um pequeno esforço de poupar um pouco de dinheiro e fazer um curso de especialização. Com uma qualificação a mais, conseguirá um aumento ou um segundo trabalho para complementar a sua renda, aumentando assim um degrau no seu padrão de vida.

A minha dica para este jovem é: não evolua no seu padrão de consumo, mantenha o custo de vida em um salário-mínimo. Se já se habituou, mesmo que com sacrifício, a esse nível de renda, mantenha-o por mais um tempo. Quanto tempo? Até ter um outro aumento na renda, quando sua renda aumentar em mais meio salário-mínimo ou dobrar, triplicar, não importa. Você vai adotar o padrão de vida que podia ter adotado com o salário anterior, sempre vivendo em um padrão de vida compatível com a última renda que teve.

Seguindo nesse padrão de escolha, é muito provável que a pessoa tenha uma ótima capacidade de poupança. Ela conseguirá realizar objetivos e tomará decisões de consumo sempre compatíveis com seu padrão de vida.

Você está lendo: Como as suas decisões de consumo impactam a sua independência financeira

Decisões de consumo para os mais experientes

Algumas pessoas estão em um patamar da vida em que a renda já não cresce com tanta frequência. Neste caso, o segredo está em adotar a técnica do “orçamento base zero”. Já falei em outros posts sobre este assunto, de você esquecer o orçamento que tem e dimensionar um orçamento com o seguinte pensamento: “Com o que eu ganho, quanto eu deveria gastar com o meu estilo de vida? Uma vida um pouco mais barata, que permita fazer poupança?”.

Então você vai se desfazer do estilo de vida que tem hoje e, durante alguns meses, migrar para um novo estilo de vida, mais barato. Dessa forma, viverá um degrau abaixo do que já viveu, com a sensação de estar renunciando a um certo conforto. Porém, a partir deste momento, adquirirá capacidade de realizar mais sonhos, de viajar mais e trocar de bens de tempos em tempos, desfrutando de uma vida mais interessante.

Com esta poupança a mais, é possível que consiga até investir em cursos, em conhecimentos que permitam aquela elevação na renda que não acontecia.

Conclusão

Rever suas decisões de consumo e viver um degrau abaixo do que você pode pagar é fundamental para construir riqueza, realizar mais sonhos e ter uma vida com mais motivação. A ideia de viver em um degrau abaixo do que você pode viver é uma maneira simples de entender que você tem que fazer sacrifícios, mas com equilíbrio.

É uma linha de raciocínio associada a uma frase que eu uso bastante em finanças e que, aliás, resume bem o que é inteligência financeira: “Você trabalha, eu trabalho, você descansa, eu trabalho e aí você reclama e eu descanso”.

Se você não está vivendo um degrau abaixo do que pode, outra saída é trabalhar um degrau acima durante uma certa fase da vida. É outra possibilidade para compensar esse desequilíbrio. Assim, alcançará a liberdade financeira em um prazo menor do que imagina ser necessário nesse momento.

Sucesso em suas escolhas!

Conheça a Delta Flow e veja como podemos ajudar você a investir certo, na hora certa!

Fonte: BTG Pactual


0 comentários

Deixe uma resposta

Avatar placeholder

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *